Quem eu era antes de ser mãe?

Ser mãe é se desprender da vida de antes? Confira relato da jornalista Juliana Franco.

20/10/2018 | 13:00
Última atualização: 20/10/2018 | 09:24

Foto: Arquivo pessoal (Juliana Franco Ustulin)

“Não lembro quem eu era antes do meu filho nascer! Parece que passei a existir só depois dele”. Ouvi, ou melhor, li esta frase – que é muito comum – na última semana e confesso que ela me deu calafrios.

Toda mulher, ao tornar-se mãe, tem a vida transformada. Muda o modo de pensar, agir, de ser e, até mesmo, de amar. Mas os calafrios ocorreram porque a frase me fez pensar e repensar se realmente sou uma boa mãe.

Também me questionei se preciso mudar quem sou porque minha vida mudou. Sinceramente? Acho que não.

A maternidade exige renúncias, mas não quero deixar de lado quem eu era antes de ser “a mãe dos gêmeos”. Não tenho vontade de me despedir dela e não esqueci quais eram os meus desejos, vontades, sonhos e hobbies. Não esqueci do que gostava de ler antes de mergulhar em leituras como saltos de desenvolvimento e picos de crescimento.

Também não esqueci do que gostava de comprar antes de sair correndo atrás de shorts “BBB” para os meninos que têm crescido muito rápido. Não esqueci os ótimos momentos que passei com meus amigos e com o meu marido, muito menos as maravilhosas viagens que fizemos antes de começar a pensar qual o destino das próximas férias com duas crianças que estarão com um ano e dois meses.

Me lembro muito bem quem eu era. Recordo de sair sem hora para voltar, de dormir até tarde, de focar no trabalho quando necessário e de me jogar no sofá, ao lado do Rodolfo (Lindo para mim), para uma maratona de séries.

Me sentia menos exausta, conseguia dizer sim aos convites, curtir mais as amigas e o marido. Enfim, era uma vida muito boa. O problema é que assumir isto pode me tornar, frente à sociedade, alguém que não gosta da maternidade, dos filhos ou da vida atual.

Mesmo assim, gosto de ser a Juliana Franco Ustulin, jornalista, apaixonada por livros, viagens, boas histórias e viciada em café. E isto não me faz pior ou melhor mãe. Mudei minha vida e minha alma por meus dois “gordelícias”.

Mas sem esquecer quem sou – e sabendo que aos poucos a Juliana vai voltar. Talvez não por inteira, mas vai voltar. Afinal, optei por ser uma mãe suficientemente boa para os meus meninos e não a mãe perfeita.

Juliana Franco

Juliana Franco

Jornalista, sãocarlense, apaixonada por Piracicaba, viciada em café, viagens, boas histórias e livros. Mãe dos gêmeos Lucca e Luigi. | Instagram: @jufrancojor

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados