Nova versão de Assassinato no Expresso do Oriente peca ao não apostar nos detalhes

Filme foi lançado nos cinemas brasileiros no dia 30 de novembro. Trama traz um Hercule Poirot romantizado, muito diferente do original.

07/12/2017 | 09:25
Última atualização: 11/12/2017 | 08:01

Foto: Reprodução Filme

Quem é leitor de Agatha Christie de longa data vai notar logo nas primeiras cenas da mais recente adaptação para o cinema de Murder on the Orient Express – ou Assassinato do Expresso Oriente em português- que não se trata de um filme fiel ao livro. O longa com direção de Kenneth Branagh, que estreou na última quinta-feira (30) no Brasil está longe de ser uma das melhores adaptações feitas da obra mas, ainda assim, consegue manter o público intrigado com a investigação do mistério.

Na história, Hercule Poirot, o famoso e nada modesto detetive belga que se consagrou por desvendar os mais incríveis e audaciosos crimes da ficção de Christie, se vê as voltas com um mistério aparentemente impossível. Isolados por uma tempestade de neve, os 12 diferentes passageiros do luxuoso The Orient Express são obrigados a conviver sob uma desagradável situação: um homem foi morto à facadas na cabine ao lado e o assassino pode estar entre eles.

 

Albert Finney, como Hercule Poirot, em cena de Assassinato no Expresso do Oriente de 1974/Foto: Reprodução do Filme

 

Intercalando cenas de ação inexistentes no livro com momentos que mais se aproximam de um filme de Sherlock Holmes atual, a história perde seu principal encanto ao tentar romantizar ao extremo os personagens e dramatizar as cenas. A primeira ruptura para quem está habituado a ler as histórias de Agatha está na forma como o diretor constrói Poirot.

O detetive baixinho, de cabeça ovulada e ar cômico, com bigodes enormes e bem cuidados, extremamente meticuloso e apaixonado pela ordem e o método está quase irreconhecível na trama. Além do tipo físico que mais se assemelha ao detetive de Arthur Conan Doyle – alto e robusto, embutido em um casaco de inverno com um charuto no canto da boca -, chama atenção a tentativa de romantizá-lo como um homem de ação, mas parecendo com o biotipo empregado por Robert Downey Junior na interpretação de Holmes.

 

Judi Dench interpretando Princess Dragomiroff em 2017/Foto: Divulgação

 

Oras, todos sabemos que Poirot não é do tipo que segue pistas, pegadas e indícios com uma lupa. Para Hercule, como ele mesmo gosta de dizer, basta sentar-se e colocar as “células cinzentas” para trabalhar. Também fica nítido, mais adiante na trama, que o mercado do cinema precisa colocar um pouco de romance na vida do detetive para torná-lo mais “consumível” para o público. Outra demonstração disso está na adoção de discussões em torno do politicamento correto.

O que também não funcionou foi dar a ele o ar sério de um inspetor Japp. Mais uma vez, o carisma de Poirot está sem dúvida na comicidade de sua aparência. Aproveitar-se disso, como fez Sidney Lumet no Assassinato do Expresso Oriente de 1974, teria sido mais sábio.

Em resumo, os pontos positivos ficam por conta da interpretação de Daisy Ridley como Marie Debehane e de Johnny Depp como Ratchett. Daisy conseguiu dar frescor a sua atuação e, ao mesmo tempo, mostrar a determinação que a personagem precisa, apesar de parecer mais inofensiva e ingênua do que a verdadeira Marie. Já Johnny Depp é quem menos atua e, mesmo assim é convincente nas cenas onde aparece.

 

David Suchet vivendo Poirot na série britância da BBC, Agatha Christie’s Poirot/Foto: Divulgação

 

Sinopse: Quando o detetive Hercule Poirot embarca no Expresso do Oriente depois de um exaustivo trabalho de campo, ele não imagina que está diante de um dos mais difíceis dilemas de sua vida investigativa. O mistério começa quando um dos passageiros morre em sua cabina apunhalado por 12 facadas e uma tempestade de neve os impede de seguir viagem. Atendendo a um pedido do dono da companhia, Poirot toma as rédeas da investigação e apresenta não apenas uma, mas duas soluções para o crime.

Assassinato no Expresso do Oriente 2017 tem Johnny Depp e Penélope Cruz no elenco/Foto: Divulgação

 

Ficha técnica:
Filme:  Murder on the Orient Express (título original).
Roteiro: Inspirado na obra de Agatha Christie.
Direção: Kenneth Branagh.
Lançamento: 30 de novembro de 2017 (Brasil).
País de Origem: Estados Unidos da América.
Gênero: mistério, suspense, drama.
Duração: 114 minutos.
Elenco: Johnny Depp, Penélope Cruz, Willem Dafoe e outros.
Classificação: 10 anos.

 

Elenco de Assassinato no Expresso do Oriente 1974/Foto: Reprodução do Filme

 

Arlete Moraes

Arlete Moraes Coluna

Jornalista, apaixonada por boas histórias, acredito que a arte nos inspira, faz refletir e torna a vida mais interessante!

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados