Clareamento dental: tudo que você precisa saber sobre o procedimento

Como todo procedimento clínico na cavidade bucal, deve ser realizado com a técnica correta e sob a supervisão de um especialista.

23/10/2018 | 13:48
Última atualização: 23/10/2018 | 13:49

Foto: Banco de imagens (Pixabay)

Clareamento é a técnica utilizada pelo dentista para deixar os dentes mais brancos. Esse efeito é alcançado pois o gel clareador apresenta uma molécula que atinge e remove  alguns tipos de pigmentos que escurecem o dente. Somente dentes naturais são beneficiados pela técnica clareadora.

Restaurações em resina, cerâmicas ou outros materiais odontológicos não clareiam com o tratamento. Por isso, é importante conversar com o dentista e passar por consulta para planejamento do Clareamento e de possíveis substituições de restaurações que irão aparentar “mais escuras” ao final do tratamento, já que os dentes naturais ficarão mais claros e as restaurações permanecerão na cor original.

Há duas técnicas principais: Clareamento à Laser (“Clareamento de Consultório”) e o Clareamento Caseiro. Ambas as técnicas atingem resultados muito próximos, porém não é possível prever qual resultado será alcançado, já que cada paciente apresenta uma resposta. Há um limite para o resultado final de cada paciente, chamado ponto de saturação. Quando atingido este ponto, mesmo que se tente continuar clareando os dentes, não há avanço no resultado. Caso o paciente ainda queira dentes mais brancos, outras técnicas como as lentes de contato ou facetas em cerâmica são ótimas alternativas. Mas esse assunto será abordado em nossa próxima Coluna.

Na técnica de Clareamento a Laser, todo o processo é realizado em consultório. O dentista utilizará um produto mais concentrado, ativado pelo laser. Na maioria dos casos da técnica a Laser, são necessárias uma ou duas sessões para que se atinja o ponto de saturação dos dentes do paciente.

Na técnica de Clareamento Caseiro, o dentista irá confeccionar uma moldeira em silicone, que terá a função de manter o gel clareador em contato com os dentes do paciente. É uma técnica mais demorada, que costuma durar de 2 a 3 semanas, a depender da posologia empregada em cada situação.

Em alguns casos, a técnica combinada é indicada. Ela consiste numa aplicação em consultório e continuação do tratamento com moldeira, em casa. A Literatura científica apresenta ótimos resultados na combinação das técnicas.

Para a manutenção do resultado por mais tempo, alimentos mais pigmentados (como, por exemplo, café, refrigerantes a base de cafeína, chá preto, beterraba, vinho tinto, dentre outros) devem ser consumidos com moderação. E um retoque do tratamento poderá ser indicado pelo dentista uma vez por ano, ou de acordo com a necessidade de cada paciente.

É importante que todo esse processo seja realizado e acompanhado por um cirurgião-dentista. Somente um cirurgião dentista será capaz de indicar a melhor técnica, o produto mais adequado, o tempo de uso, a posologia, além de acompanhar o tratamento e analisar se não está ocorrendo alterações na superfície radicular, manchamentos, dentre outras situações que somente um profissional poderá identificar.

Dra. Vanessa Tramontino

Dra. Vanessa Tramontino

Cirurgiã-Dentista formada pela FOP/UNICAMP em 2005; Mestre e Doutora em Prótese Dentária (UNICAMP); Especialista em Prótese Dentária (UNICAMP); Especialista em Implantodontia (UNICAMP); Habilitada em aplicação de Toxina Botulínica e Preenchimento (UNICAMP). | www.vanessatramontino.com.br

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados