A Música como ferramenta para exercitar a imaginação e a criatividade

Em novo texto, Luis Fernando Dutra faz homenagem a mãe Maria Helena, que comemora aniversário hoje (5 de setembro).

05/09/2018 | 10:00
Última atualização: 05/09/2018 | 10:09

Mais uma quarta-feira, mais reflexões do PiraMusical!!!

E como iniciar o texto de hoje? Acho que não poderia ser de outra forma, senão homenageando a aniversariante da semana (mais precisamente no dia 5 de Setembro, dia em que esse texto é publicado), que foi a minha primeira professora de música. Minha e de muitas centenas de pessoas que passaram pelo saudoso Colégio Assunção. Mas as minhas primeiras aulas começaram na verdade antes de eu nascer, pois essa minha primeira professora foi minha mãe, a Maria Helena Dutra. Quem quiser saber mais sobre os meus primeiros passos na música é só voltar ao primeiro texto que lançamos no PiraMusical.

Na verdade é uma homenagem não só pelo aniversário, mas também por tudo o que ela fez e continua fazendo, pelas pessoas e pela música. Pianista desde os 5 anos de idade, estudou com grandes professores da cidade e fez inúmeras apresentações em Piracicaba e região. Sempre se dedicou às aulas de piano, flauta doce, musicalização e teoria musical a alunos de todas as idades….todas as idades mesmo, dos 5 aos 90 anos!!!

Isso sem contar todas as pessoas que tiveram aulas de música com ela no Colégio Assunção e também no Anglo. Até hoje encontro pessoas que me perguntam se sou filho da “Professora Maria Helena”, e logo após a resposta afirmativa sempre vem os relatos sobre as aulas, os hinos que todos sabem de cor até hoje, as festas juninas que ela animava ao som do acordeom ( que esqueci de mencionar anteriormente )…enfim, todos relatam o quão importante foram as aulas de música que tiveram na escola, onde não se ensinava a tocar um instrumento, mas era dada a oportunidade de todos conhecerem pelo menos o básico e com isso, passarem a apreciar mais as boas músicas.

Apesar dela já ter trabalhado muito a vida toda educando musicalmente muitas gerações, ainda continua este árduo oficio, que muitas vezes não é valorizado e nem ao menos reconhecido. E é justamente por saber da importância que a música tem na vida das pessoas, que começamos os programas de rádio e também esta coluna…quem sabe num futuro próximo consigamos até mesmo um espaço na TV.

Levar música para todos, de forma indistinta, dar a oportunidade para todos conhecerem este gigantesco universo e quando falo universo me refiro à enorme quantidade de estilos, formações etc…eu tenho uma dificuldade muito grande em responder qual é o meu estilo favorito, então a minha resposta sempre é : gosto de música boa !!! Sem rótulos…

E porque toda essa introdução?? Para abordar uma das questões levantadas na semana passada: eu não vou em concertos porque não entendo nada!!! Como diria meu amigo Hélio Hintze, essa frase já dá um gancho para escrevermos muitas páginas, mas vamos resumir.

“Eu não entendo nada !!!” Ótimo!!! Isso não é desculpa para não começar a entender e para isso é preciso começar a ouvir, assistir e SENTIR. Mais importante do que ouvir com a cabeça é ouvir com o coração. Quando vamos ao cinema e nos emocionamos, podem ter certeza que a trilha sonora foi responsável por 90% desta emoção. Não ficamos ali pensando na estrutura da música, qual é a tonalidade, a fórmula de compasso, a orquestração…simplesmente ouvimos e deixamos ela nos levar juntamente com as imagens. Num concerto ao vivo, seja qual estilo for, temos que nos permitir esta mesma emoção, sem muita racionalidade. É um momento que nos damos de presente para sentir o presente, pois cada apresentação é única. Aquele momento jamais se repetirá, então é preciso vivê-lo com intensidade. Conforme vamos admirando mais e mais a música, mais vamos querer nos informar, saber um pouco da história daquela música, daquele compositor e aí vem a vontade de estudar e aprender mais, seja fazendo aula de instrumento ou até mesmo de apreciação musical.

A música é capaz de mexer com a nossa imaginação e assim como a literatura, nos transporta para situações e cenários variados. As vezes, entendendo um pouco mais da estrutura da música, este cenário pode ficar mais elaborado, mais rico e por isso dizemos que quando começamos a entender um pouco mais da estrutura da música, podemos absorver mais todas as emoções que ela proporciona. Temos, na música erudita, a “Música Programática” que tem como base uma história, uma imagem e até mesmo sentimentos e aqui vão algumas dicas para o caríssimo leitor ouvir e se deliciar : As 4 Estações de Vivaldi ( se possível ler os sonetos escritos pelo próprio Vivaldi ), nas quais o compositor descreve cenas das estações do ano através da música, que foi escrita com base nos Sonetos; Sinfonia Pastoral de Beethoven, que nos transmite todas as emoções e sensações de um dia no campo e a maravilhosa Sinfonia Fantástica de Berlioz, que é uma linda história de amor. Estes são apenas alguns poucos exemplos que convido o leitor a ouvir com o coração, exercitando a criatividade, deixando a mente vazia para que muitas imagens e sensações possam ocupar todo o espaço. E agradeço aos que se permitirem esta experiência, mandem comentários falando sobre isso.

Depois de atender ao convite para ouvir estas músicas em casa, num aparelho eletrônico com alta tecnologia, de o passo seguinte : vá assistir ao vivo!!! Sua emoção será muito maior ao ver os músicos entrando no palco, afinando os seus instrumentos, o silêncio na platéia, a entrada do maestro, o cumprimento ao spalla, aplausos, o silêncio novamente, a preparação quando o maestro levanta o braço e a mágica quando ele movimenta a sua batuta. Com certeza muitas perguntas surgirão : porque aquele músico entrou depois de todo mundo ?, porque o maestro só dá a mão para aquele músico? Porque quando eu aplaudi no final da música o maestro não se virou para agradecer os aplausos?

A música vai começar, deixem os “porques” para um outro momento…vivam, sintam, deixem a música alimentar sua mente e sua alma…com certeza você viverá sensações maravilhosas e, aos poucos levará isso para a sua vida, aprendendo a contemplar tudo o que existe de belo e muitas vezes não percebemos e por isso mesmo não valorizamos.
Como escrevemos no começo do texto, para aprender a apreciar arte não existe idade. Sempre é tempo de aprender. Tive a alegria de conhecer várias pessoas que, mesmo com idade bem avançada se permitiram novos desafios, estudando instrumento ou até mesmo fazendo cursos de apreciação musical e todas elas me relataram o quanto aquilo as deixava feliz e realizada. Se permita fazer algo diferente : o que não te desafia, não te transforma!

Boa Música!!! Aprecie sem moderação!

Se quiser um momento para ouvir boa música e recuperar energias para enfrentar a semana, acompanhe o programa “Opus 105,9”, todos os Domingos, das 20 às 21:30h pela Rádio Educativa FM de Piracicaba – 105,9 e o programa “Clássicos ao Cair da Noite”, todos os Domingos, das 21 às 22h pela Rádio Educadora AM de Piracicaba – 1060.

Uma ótima quarta-feira e uma semana repleta de música a todos.

Luis Fernando F. Dutra

Luis Fernando F. Dutra

Luís Fernando F. Dutra é violinista, professor e maestro | Whatsapp : (19)99816-0509 | E-mail : luisfernandofischerdutra@gmail.com | Facebook : www.facebook.com/profile.php?id=100011059385474

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados