2018: o ano no qual aprendi o verdadeiro sentido da palavra ‘gratidão’

E você, já fez o tradicional balanço de fim de ano?

07/12/2018 | 15:08
Última atualização: 07/12/2018 | 16:06

Hoje pela manhã, enquanto via minhas lembranças do Facebook, me deparei com um vídeo sobre o ano de 2017, no qual eu dizia não saber descrever aqueles doze meses. Afinal, foi um ano cheio de sentimentos: no início perdi minha mãe de forma inesperada, no meio engravidei e em seguida, casei. Também me aventurei em um novo empreendimento e conquistei um novo emprego…

Foi então que comecei a refletir e fazer aquele velho balanço de fim de ano. Ufa, que ano foi 2018. Logo em janeiro, eu que nunca pensei em ser mãe, fui presenteada com dois pacotinhos de amor.

A princípio, vi a maternidade como uma grande missão. Mas agora, revivendo todos os meses deste último ano, enxergo que a maternidade veio para me fazer uma pessoa melhor, para me ensinar sobre o amor e também sobre a vida.

Ela tem sido uma grande escola. Mostrou-me que o amor incondicional existe, que não tem explicação e é diferente para cada pessoa. É possível amar sem medida mesmo cansada, em meio a choros e momentos difíceis.

A maternidade também me trouxe mais equilíbrio e serenidade – mesmo saindo do eixo e perdendo as estribeiras muitas vezes. Mostrou-me que em alguns casos é melhor esperar, respirar e deixar pra lá. Atitudes que aliviam o estresse e nos fazem mais feliz.

Durante as madrugadas, entre mamadeiras e fraldas, os meninos ainda indefesos, me ensinaram que amar é dedicação, cuidado e vigília, mesmo quando tudo o que eu mais queria era dormir – por, ao menos, um mês seguido.

Esta dupla da pesada ainda me trouxe fé e crença. Mas acima de tudo, ela me ensinou o verdadeiro sentido da palavra gratidão. Foram muitos os momentos delicados, inúmeros impasses e privações. Apesar disto, sou grata por tudo.

Momentos de dor são oportunidades para aprendermos algo novo e superar limitações.

Percebi que se tornou prioridade – mesmo que difícil, muitas vezes – enxergar o lado bom da vida e agradecer. E no meio de todos estes pensamentos, notei ter adotado a gratidão como filosofia de vida.

Agradeço diariamente por ter saúde, emprego, onde morar, por ter minha família, por todos estes “clichês”, como muitos dizem.

Por isto, obrigada 2018 por me mostrar que o sentido da vida está nos pequenos gestos. Obrigada por me mostrar o valor das coisas, me fortalecer e me transformar.

Foto: Arquivo pessoal
Juliana Franco

Juliana Franco

Jornalista, sãocarlense, apaixonada por Piracicaba, viciada em café, viagens, boas histórias e livros. Mãe dos gêmeos Lucca e Luigi. | Instagram: @jufrancojor

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados