Salão de Belas Artes de Piracicaba chega à 66ª edição

Cerimônia de abertura e premiação acontece nesta sexta, 03/08, às 20h, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra.

02/08/2018 | 16:00
Última atualização: 02/08/2018 | 15:02

Foto: Flávia Silva Perez.

Com abertura nesta sexta-feira (3) o Salão de Belas Artes de Piracicaba (SBA) chega à sua 66ª edição, com exposição de obras de vários estados brasileiros. O evento que será realizado a partir das 20h, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra, contará com a premiação de trabalhos e a participação de artistas. A visitação gratuita acontece até o dia 31 de agosto, de segunda a sexta, das 8h às 17h e aos sábados, das 14h às 18h.

Nesta ano, 225 obras, de 81 artistas foram inscritas para análise da Comissão de Seleção e Premiação do Salão, composta por Ademar Costa Simões, Carmelo Gentil Filho, Clóvis Péscio, José Marcondes e Ronaldo Lopes de Lima. Do montante, 88 trabalhos foram selecionados e 28 serão premiados.

Para o diretor da Pinacoteca Miguel Dutra, Eduardo Borges de Araújo, o que mais chamou a atenção nesta edição foi a qualidade das obras. “Ter um salão de Belas Artes no nível do que nós temos em Piracicaba, é um privilégio. Temos o mais conceituado e concorrido salão de artes de todo o Brasil, além dos salões de Aquarelas (SAP) e Arte Contemporânea (SAC)”, disse.

Os vencedores do Prêmio Aquisitivo Prefeitura foram Jesser Valzacchi, com a obra Sentimento Nacional; Alisson de Sando, com Tranta a Espiritualização da Sexualidade; Rodrigo Zaniboni, com Cavalgando Sonhos de Amor; Paulo Tosta, com Mestre Clóvis Péscio; Agnelo Andrade, com a obra Cavalo. No Aquisitivo Câmara Vereadores, os escolhidos foram Ronaldo Boner, com Nona in Giordiño e Adriano Padilha, com Injustiça Social.

Também foram distribuídas a medalha de ouro, medalha de prata e de bronze às obras Sentimento Nacional, Sofrimento Patriota e Produto Exportação pelo conjunto de Jesser Valzacchi; o conjunto Bonecas e Aprendendo a Sonhar, de Claudinei Nandi Prado (Kolley Nardi); a obra Folhas 1, de Odil Miranda Ribeiro e pelo conjunto da obra Fazenda em Santa Gertrudes e Casa de Sítio, de João Benatti. As menções honrosas foram para Roni Stein, com a obra Itapuranga – GO; João Caravita com Rio Piracicaba – Ártemis e André Maurício, com Rústicos.

Na categoria desenho, a menção honrosa ficou para Gustavo Schossler, com Amanhã; Edval Pessoa, com Irineu. A medalha de prata em Aquarela foi para Ari de Goes Jr., com Rua Glória; Renato Palmuti, pelo conjunto da obra Cinza Vertical I, Cinza Vertical II e Cinza Vertical III. A medalha de bronze em Aquarela ficou para Guilherme Garoa, com Carnaval de Rua – kolombolo e Carnaval na Vila – kolombolo. Em escultura, quem faturou foi Renato Munhoz, pelo conjunto da obra Danielle – Cabeça – Bronze – Florença e Ana Rosa – Cabeça – Bronze – Florença. A menção honrosa em escultura ficou para Zaira Mattos Bellizia, com Novos Sentimentos.

“O Salão de Belas Artes é referência no Brasil. Com 66 edições realizadas ininterruptamente, é considerado um dos mais importantes nas artes plásticas, do país. Primar pela qualidade e seriedade na organização, torna os salões de Piracicaba, reconhecidos e aplaudidos pelos artistas”, comenta a secretária da Ação Cultural e Turismo, Rosângela Camolese.

Serviço:
66º Salão de Belas Artes de Piracicaba.
Abertura: sexta-feira, (3), às 20h, na Pinacoteca Municipal Miguel Dutra, rua Moraes Barros, 233, Centro, Piracicaba. Visitação de segunda a sexta, das 8h às 17h, e aos sábados, das 14h às 18h. Entrada gratuita. Informações: 3433-4930.

 

 

Piracicaba Digital

maxgourmet

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados