Nação Zumbi faz show no Sesc Piracicaba

Banda apresenta Radiola NZ, novo álbum com releituras de clássicos da MPB.

05/11/2018 | 11:34
Última atualização: 05/11/2018 | 14:01

Foto Daniel Arroyo.

Precursores do Mangue Beat, movimento musical que ganhou projeção nacional na década de 90, Nação Zumbi realiza turnê do álbum Radiola NZ  e sobe ao palco do Sesc Piracicaba em 14 de novembro, às 20h. O show será no ginásio.

Os ingressos começam a ser vendidos nesta terça-feira, dia 6 de novembro, às 14h pelo Portal Sesc SP e na quarta-feira, dia 7/11, às 17h30 nas bilheterias das unidades. Com preços entre R$ 9 e R$ 30, a compra, tanto online quanto presencial, é limitada a quatro ingressos por pessoa e a entrada de menores de 16 anos será permitida apenas se acompanhados do responsável legal (pai ou mãe).

No repertório, músicas como “Refazenda” de Gilberto Gil e “Não Há Dinheiro Que Pague” do Rei Roberto Carlos, “Amor”, do Secos & Molhados, além de clássicos da banda como “Manguetown”, “Meu Maracatu Pesa uma Tonelada” e “Quando a Maré Encher. A banda é formada por Jorge du Peixe (voz), Dengue (baixo), Lúcio Maia (guitarra) e Toca Ogan (percussão), acompanhados por Tom Rocha (bateria), Gustavo Da Lua e Marcos Matias (alfaias).

Nação Zumbi
Criada no início dos anos 1990, na capital pernambucana, a Nação Zumbi, se tornou uma das bandas mais respeitadas e influentes Brasileiras. Ainda sob a alcunha de ‘Chico Science & Nação Zumbi’, lançou seu primeiro álbum “Da Lama ao Caos”, em 1994. O trabalho tornou-se um dos marcos do manguebeat, movimento que, junto com outras bandas da região, ajudou a deslocar o eixo da música nacional para além do Rio-São Paulo introduzindo elementos locais ao pop e considerado o mais importante desde a Tropicália.

O segundo disco “Afrociberdelia” marcou o encontro entre as músicas brasileira e africana, o rock, o rap e as revoluções digitais que deram nova cara ao mundo nos anos 1990. O álbum reúne alguns dos grandes sucessos da Nação Zumbi, presentes no setlist da banda até hoje, como “Macô”, “Manguetown” e “Maracatu Atômico”, esta última uma versão modernizada para a composição de Nelson Jacobina e Jorge Mautner, da década de 1970. Menos de um ano depois, Chico Science, morre precocemente, em um acidente de carro no Recife.

Depois da enorme perda, a Nação Zumbi, conseguiu se reestruturar e soube se reinventar ano após ano, disco após disco até chegar aqui. Acumulou mais seis álbuns de estúdio – “CSNZ” (1998), “Rádio S.Amb.A” (2000), “Nação Zumbi” (2002), “Futura” (2005), “Fome de Tudo” (2007), “Nação Zumbi” (2014) e dois álbuns ao vivo que também viraram vídeos em DVD – “Propagando ao Vivo” (2006) e “Ao Vivo no Recife” (2012), além do cd “Mundo Livre S.A. vs Nação Zumbi” (2012).

Shows
A Nação Zumbi está em turnê desde 2014, quando lançou o décimo trabalho de sua carreira, o disco de inéditas “Nação Zumbi” (slap/Natura Musical), produzido por Berna Ceppas e Kassin, lançado depois do jejum de sete anos desde “Fome de Tudo”, frequentando festivais importantes pelo pais e exterior, como Lollapalooza Chile, Lollapalooza Argentina, Summerstage NY e 50º Montreux Festival (neste junto com a banda suíça The Young Gods), Porão Do Rock, Festival Mada, Batuque,Rock In Rio,  João Rock, Bananada, entre outros.

Em 2016, a Nação Zumbi circulou com show Afrociberdelia, tocando o cd na íntegra, em comemoração aos 20 anos do lançamento do álbum e os 50 anos de Chico. Em julho de 2017, a banda faz uma turnê pela Europa, passando por seis países e finalizando com gravação de um álbum ao vivo/documentário no lendário estúdio Abbey Road, que será lançado pelo Canal Brasil em 2019.

No final de 2017 lançaram o álbum de versões “Radiola NZ”, pelo selo independente Babel Sunset, e seguem rodando o com shows cheios e platéia quente. Jorge Du Peixe (voz), Lúcio Maia (guitarra), Dengue (baixo), Pupillo (bateria), Toca Ogan (percussão), Tom Tocha, Marcos Matias e Da Lua (alfaias) tocam musicas da sua discografia desde os primeiros cds com Chico Science e  músicas do ultimo disco, “Radiola NZ Vol. 1” (selo Babel Sunset), composto por versões zumbificadas de músicas importantes na história da banda, como “Refazenda” (Gilberto Gil) e “Amor” (Secos & Molhados), entre outras.

Serviço
O que: Nação Zumbi – Show Radiola NZ.
Onde: No Palco do Sesc.
Dia 14, quarta, 20h.
Ginásio. 16 anos.
Ingressos:
R$ 9,00 (Trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes) – Credencial Plena
R$ 15,00 (Aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante)
R$ 30,00
Início das vendas:
Online: 6/11 às 14h
Bilheterias da rede Sesc: 7/11 às 17h30

Piracicaba Digital

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados