Funcionário dos Correios é detido suspeito de furtar mercadorias da empresa

Homem levava produtos da empresa para casa do vizinho, que revendia as mercadorias pela Internet, em Piracicaba (SP).

08/01/2018 | 14:12
Última atualização: 09/01/2018 | 08:43

Foto: Divulgação

Um funcionário terceirizado dos Correios de Piracicaba (SP) foi detido na manhã de segunda-feira (8) suspeito de furtar mercadorias recebidas na agência e revendê-las pela internet. Um segundo rapaz também foi apreendido. A apreensão foi feita pela Delegacia de Investigações Gerais (Dise).

De acordo com as investigações, ao invés de despachar os produtos, o indivíduo colocava os pacotes na garupa de sua motocicleta e levava para a casa de um vizinho, na hora do almoço. Este ficava responsável por anunciar os produtos na rede e vendê-los por um preço menor.

O esquema foi descoberto por meio de denúncia. Um homem procurou a polícia e informou que vendeu uma peça e a despachou pelos Correios. Apesar disto,  o destinatário não recebeu o pedido.

O objeto, segundo ele, era numerado e só existiam 25 iguais a ele no Brasil. Após receber a reclamação do comprador, o homem começou a pesquisar na internet e encontrou o mesmo produto a venda em um site.

A peça tinha a mesma numeração que a despachada, inclusive, estava na mesma embalagem que havia feito. Desconfiado do golpe, comunicou a polícia e marcou um encontro com o falso vendedor para buscar o produto na casa dele.

Ao ser surpreendido pelos policiais, o sujeito confessou que vendia mercadorias furtadas dos Correios. Revelou que estas chegavam até ele por meio do vizinho, que trabalha na empresa.

Com as informações, os profissionais da Dise foram atrás do suspeito e o encontraram com a motocicleta carregada com mais de três pacotes – estes seriam entregues ao vizinho. O funcionário confessou que desviava as mercadorias e informou que em sua casa havia mais coisas.

De acordo com a Dise, entre os materiais apreendidos estão perfumes, roupas, capacetes entre outros.

Providências
A assessoria de imprensa dos Correios esclareceu por meio de nota oficial que “o caso ocorreu em uma agência franqueada – AGF e que todas as providências administrativas e trabalhistas em relação ao empregado envolvido são de responsabilidade do franqueado. Os clientes que foram lesados têm direito a indenização, conforme orientações disponíveis no site dos Correios. A empresa está fornecendo todas as informações e materiais necessários para cooperar com as investigações da Polícia”.

Arlete Moraes

Jornalista | PIRADIGITAL | arlete@piradigital.com.br

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados