Após 20 anos, Núcleo de Pequenas e Médias Empresas é regularizado

Escrituras são entregues a proprietários de 22 empresas que geram centenas de empregos

08/04/2019 | 10:15
Última atualização: 08/04/2019 | 10:02

Foto: Felipe Ferreira (CCS)

Após 20 anos e empenho do prefeito Barjas Negri (PSDB), da Procuradoria Geral e de secretarias municipais, o Nupeme (Núcleo de Pequenas e Médias Empresas), localizado no Distrito Industrial Unileste, foi regularizado. Com isso, 22 empresas que geram mais de 470 empregos vão, finalmente, conseguir suas escrituras.

Para celebrar a conquista, o prefeito convidou empresários para um encontro em seu gabinete e para a assinatura da primeira escritura de doação, na tarde de quinta-feira (4 de abril). Participaram os empresários Aldano Benetton, José Luiz Benetton, Daniel Luccas Camargo, Jeomar Serafim, André Antonio Simioni, Christian Campos, além de Sérgio Pinilha, do 1º Tabelião de Notas. O grupo mostrou ao prefeito a primeira página de um jornal da cidade, datada de 14/08/1999, que mostra reunião com o então prefeito Humberto de Campos, para a criação do Nupeme que, agora, 20 anos depois, é regularizado.

De acordo com Barjas Negri, essa é uma conquista de toda a população. “Trabalhamos muito para conseguir regularizar o Nupeme. Atendemos a todas as exigências necessárias e, finalmente, isso aconteceu. É uma conquista importante para Piracicaba, para os empresários, que podem investir com mais tranquilidade e assim gerar mais empregos”, ressalta Barjas.

O procurador-geral do município, Milton Sérgio Bissoli, lembra que o pedido de regularização do Nupeme foi enviado pela primeira vez à Procuradoria em abril de 2014, pela Secretaria Municipal de Obras (Semob). “Foram elaborados projetos, obtidas autorizações junto a órgão ambiental e executadas as obras de infraestrutura e todas as correções, o que resultou na qualificação positiva dos documentos apresentados, para fins de viabilizar o registro do empreendimento. Não fosse o empenho e esforço da Procuradoria Jurídica Administrativa, acredito que o processo ainda pudesse se arrastar por mais alguns anos. A Procuradoria Geral não tem obras para perpetuar seu nome, mas tem um trabalho árduo, diuturno, para levar essas conquistas à coletividade”, ressalta Bissoli.

Criado por meio das leis 4.244/1996 e 4.570/1998, o Nupeme possui área de 43.872,60 m2, que inclui também áreas de lazer e de preservação. Vice-prefeito e secretário de Governo e Desenvolvimento Econômico, José Antonio de Godoy foi um dos que acompanharam o processo de instalação do núcleo e sua regularização. “O projeto Nupeme, além de atender reinvindicação de pequenas empresas, adicionou atividade econômica importante para o município, criando emprego e renda e permitindo que empresas tivessem sua própria área. Temos 22 empresas que desenvolvem as mais diversas atividades industriais e de prestação de serviços e que agora possuem suas escrituras definitivas”, comemora Godoy.

Valorização e confiança
E quem mais comemora a conquista das escrituras são os empresários instalados no Nupeme. Um deles é Aldano Benetton, proprietário da Monte Alegre Turismo, empresa de ônibus que possui uma garagem de apoio na rua Aristides Giusti. Estrategicamente localizada, a Monte Alegre presta serviços de transporte de trabalhadores para empresas do Distrito Industrial Unileste e do vizinho Parque Automotivo, com a Hyundai como uma de suas clientes.

“Ter a escritura é uma segurança em uma época de crise. É fundamental porque isso melhora o cadastro da empresa, o seu valor e facilita o crédito em bancos até. Esse trabalho de regularização foi difícil tanto para os proprietários quanto para a Prefeitura e agradecemos muito ao prefeito Barjas Negri. Isso, sem dúvida, vai gerar mais empregos porque vamos investir mais”, garante Benetton. A Monte Alegre é de propriedade da família desde a década de 1970 e possui outras garagens na cidade.

O empresário Alexandro Simioni, da Startec, indústria que fabrica ferramentas, se instalou em terreno do Nupeme desde o início, há 20 anos. Ele também esperava ansioso pela escritura. “O documento traz um certo conforto pelo fato de você ter a propriedade do imóvel. Para o empresário e para os funcionários. Facilita buscar recursos no mercado financeiro e na frente comercial também. Quando você vai fornecer para empresa pública, por exemplo, faz diferença ter sua própria empresa. Também possibilita crescer e estabelecer raízes mais fortes”, reforça Simioni.

Piracicaba Digital

PIRADIGITAL © 2017 Todos os direitos reservados